Instituto Cervantes

R. de Santa Marta 43F R/C, 1169-119 Lisboa
2ª a 6ª - 10h00 > 20h00 / sáb. > 09h30 > 13h00

03/10- 21/12/2023

 

Susana Girón

SUSANA GIRÓN

90 VARAS

Esta é uma história antiga e íntima, a história de Maria e Antonio Alarcón. Uma história que começa no ano de 1273, com 90 cajados de pastor. Noventa cajados foi a medida regulamentar decretada em 1273 pelo monarca Alfonso X, o Sábio, por via de édito real, para a largura das “Cañadas Reales” para uso tradicional e trânsito de rebanhos transumantes em Espanha.

Para salvaguardar o seu regulamento, o monarca ordenou a criação do Honorável Conselho da Mesta, a primeira associação de pecuaristas de Espanha e da Europa, com a missão de proteger as estradas para o trânsito e o comércio de gado. No seu apogeu, em meados do século XVIII, 3 750 000 cabeças de gado passavam anualmente pelos desfiladeiros e trilhos reais. Hoje em dia, restam apenas 150 famílias de transumantes e cerca de 150 mil cabeças de gado migrando por estas estradas cheias de história.

A família Alarcón é uma das últimas que trabalha como pastores nómadas em Espanha. Migram pelo território a pé com seus animais, em busca de melhores pastagens e condições de vida. Duas vezes por ano, caminham cerca de 200 km entre Fátima (Granada) e Las Navas de San Juan (Jaén) durante 8 dias de árdua caminhada para eles e as suas 600 ovelhas. Durante estas viagens, vivem no meio da natureza e das florestas, nas encostas das montanhas, suportando duras condições de vida e climas extremos ao longo dos antiquíssimos caminhos espanhóis conhecidos como “Cañadas Reales”.

Atualmente, em Espanha, a transumância está a ser ameaçada por vários fatores, incluindo a falta de ajudas públicas e a dificuldade de substituição da geração mais velha de pastores. A escassez de recursos económicos e a descida dos custos da exploração pecuária devem compensar, de alguma forma, o sacrifício de viver em eterna peregrinação. O resultado é que a maioria das famílias está prestes a abandonar a transumância. Paradoxalmente, esta prática constitui uma oportunidade para uma pecuária mais ecológica e sustentável.

pt_PTPortuguese