O IMAGO LISBOA Photo Festival é um acontecimento marcante no panorama da fotografia nacional e internacional.

Em 2022, a 4ª edição, gravita em torno do conceito de Distúrbios.

A atual sociedade tem vivido, ciclicamente, momentos perturbadores de diferentes intensidades e tipologias. Naturalmente que a atual pandemia foi, provavelmente, o colmatar do maior distúrbio do pós II Guerra Mundial. A sua dimensão teve uma globalidade nunca outrora existente, revelando muitas das fragilidades dos sistemas políticos e económicos, mas, também revelando a capacidade de resposta da comunidade científica internacional. Mas para além desta pandemia, são muitos outros distúrbios que o planeta enfrenta. A poluição e recorrentes desastres ecológicos têm estado na agenda de várias cimeiras; a violência social e doméstica tem feito várias manchetes; os distúrbios mentais e físicos têm aumentado; as migrações resultantes de fuga às guerras e à escassez de meios de subsistência; escândalos financeiros, são muitos os exemplos de possível abordagem, estudo e reflexão.

Longe estávamos, também, de antever que após a pandemia na Europa regressava a guerra. Mas não é apenas na Europa que esse cenário atormenta a humanidade. Outros palcos, mais longínquos, experimentam diariamente as atrocidades genocidas: Iêmen, Afeganistão, diversos locais na África e outros.

 

 

MNAC – Museu Nacional de Arte Contemporânea
Harri Palviranta

Battered (2006-2007);
News Portraits (2010-2014);
Choreography of Violence (2015–2020)


Museu da Água - Núcleo dos Barbadinhos
Covid@Alentejo, olhares:

António Carrapato, António Cunha, Augusto Brázio, Maria do Mar Rêgo


SNBA – Sociedade Nacional de Belas-Artes

Pedro Lobo, Um Livro Doloroso

Silja Yvette, Metaphysics of Core Matter

Lisa Kohl, PASSAGE // 32°32’04.7“N117°07‘26.3“W



Galeria Imago Lisboa

Deanna Pizzitelli, Koža, Women & Other Stories



Galeria de Santa Maria Maior

Donna Ferrato, Holy



IPCI – Instituto de Produção Cultural e Imagem

Mafalda Rakos, I want to disappear



Imago Garage

Coletivo IANDÉ

Lalo de Almeida, Pantanal em Chamas

Dayan de Castro, Aere perennius

Gui Christ, Fissura



Carpintarias de São Lázaro

Filippo Zambon, Into the bin

Hannah Kozak, He Threw the Last Punch Too Hard

Smita Sharma, Domestic Servitude trafficking in India

Tariq Zaidi, Sin Salida

Vlad Sokin, Crying Meri



Localização a designar / Soon 

Silvy Crespo, The Land of Elephants

Flávio Andrade, Isolation


MNAC – Museu Nacional de Arte Contemporânea
Harri Palviranta

Battered (2006-2007);
News Portraits (2010-2014);
Choreography of Violence (2015–2020)


Museu da Água - Núcleo dos Barbadinhos
Covid@Alentejo, olhares:

António Carrapato, António Cunha, Augusto Brázio, Maria do Mar Rêgo


SNBA – Sociedade Nacional de Belas-Artes

Pedro Lobo, Um Livro Doloroso

Silja Yvette, Metaphysics of Core Matter

Lisa Kohl, PASSAGE // 32°32’04.7“N117°07‘26.3“W



Galeria Imago Lisboa

Deanna Pizzitelli, Koža, Women & Other Stories



Galeria de Santa Maria Maior

Donna Ferrato, Holy



IPCI – Instituto de Produção Cultural e Imagem

Mafalda Rakos, I want to disappear



Imago Garage

Coletivo IANDÉ

Lalo de Almeida, Pantanal em Chamas

Dayan de Castro, Aere perennius

Gui Christ, Fissura



Carpintarias de São Lázaro

Filippo Zambon, Into the bin

Hannah Kozak, He Threw the Last Punch Too Hard

Smita Sharma, Domestic Servitude trafficking in India

Tariq Zaidi, Sin Salida

Vlad Sokin, Crying Meri



Localização a designar / Soon 

Silvy Crespo, The Land of Elephants

Flávio Andrade, Isolation


pt_PTPortuguese